Criminosos invadem contas do WhatsApp para pedir dinheiro aos contatos das vítimas

Virou uma praga. A fraude do WhatsApp  contaminou até os celulares de quem se considerava imune ao golpe. Por conta disso, o aplicativo recomenda a ativação da verificação em duas etapas.

Mesmo o golpe já sendo “velho”, muitas pessoas acabam prejudicadas. Os criminosos agem de tal forma,  que as vítimas acabam sendo convencidas e não se dão conta de se tratar de uma fraude.

Em Caxias do Sul, os empresários estão sendo alvos dos golpistas. A empresária Gislaine, podóloga, foi uma das vítimas. Gislaine teve seu número de telefone do WhatsApp hackeado  e em poucas horas, os criminosos colocaram seu plano em prática.

Os hackers mapearam os contatos da vítima e em seguida entraram em contato se passando por ela. Gislaine nos relatou como os golpistas agiram: “Um número me mandou mensagem e como o número era comercial eu continuei a conversa, achei que era um paciente, a foto do perfil era de uma senhora e  muito bem arrumada.

Ela então falou: – Tudo bem? Sou nova aqui.”

A partir daí  Gislaine relatou ter perguntado se a  tal senhora era nova no prédio. A tal pessoa respondeu que sim e disse que sua internet estava ruim. Então pediu para que Gislaine continuasse conversando com ela por um link enviado logo em seguida. “Me mandaram o  link, quando cliquei já era tarde, meu número tinha sido hackeado”, relatou Gislaine.

A partir daí, os criminosos logo mandaram mensagens se passando por Gislaine, solicitando quantias em dinheiro. Então, mais uma pessoa caiu no golpe. Essa vítima chegou a depositar um o valor de R$1200, e só se deu conta de se tratar de um golpe, horas depois, após sua esposa ver que Gislaine tinha postado em sua rede social do possível golpe.

Um fato muito parecido e que também  envolve o WhatsApp, segundo a polícia, é a operação de clonagem. Este golpe consiste no uso de um chip novo, e neste chip, os criminosos solicitam o resgate do número da vítima escolhida. Além disso, os bandidos conseguem ter acesso a toda a lista de contatos do WhatsApp da vítima, já que esses dados estão ligados ao número do chip, e não ao aparelho físico do usuário. Segundo dados policiais, acredita-se que cerca de cinco mil contas de WhatsApp já foram clonadas em todo o Brasil.

As vítimas registraram boletim de ocorrência e o caso segue sob investigação.

Jornalista

Nice Ebertz

MTE 19958